Sala de Justiça

Um blog d'O Pensador Selvagem | in moto perpetuo, produzindo inconscientes

Os melhores softwares para colocar no bolso

| 1 Comment

Estoy a oír: Antoine Dodson – Bed Intruder Song

Para situações em que preciso usar um computador que não é meu, gosto de ter sempre à mão um pendrive com as versões portáteis e/ou instaladores dos principais programas que uso. Além de permitir que eu trabalhe de praticamente qualquer computador Windows razoavelmente potente, isso me faz ganhar muito tempo caso eventualmente precise passar um arquivo ou programa para alguém.

Exemplificando com uma situação mais comum do que parece: um número surpreendente de pessoas não usa um programa externo para abertura de arquivos compactados – o que gera uma tremenda dor de cabeça ao tentar abrir um arquivo RAR. Daí a conveniência de ter sempre o instalador do WinRAR à mão.

Também é interessante que seu pendrive de softwares tenha algumas ferramentas básicas de diagnóstico e resolução de problemas. O CCleaner costuma bastar, já que muitos problemas aparentemente escabrosos são causados pela falta de manutenção básica e costumam ser resolvidos com uma simples limpeza no HD. Claro, dependendo do seu grau de conhecimento convém carregar programas mais avançados – até porque, como eu sei por experiência própria, aos olhos de um leigo qualquer um que “entenda de computador” torna-se automaticamente especialista em manutenção de micros.

Gosto também de manter uma versão portátil do Firefox, já configurada com minhas extensões, favoritos e senhas pessoais. Uma extensão bastante interessante para fazer esse trabalho é o FEBE, que faz backups periódicos destas e outras configurações – e permite que você importe estes backups em qualquer instância do Firefox que tenha o FEBE instalado.

Meu pendrive carrega também um pacote de codecs de áudio e vídeo, além de tudo o que preciso para transformar qualquer PC num estúdio temporário de gravação e edição de podcasts: versões portáteis do Skype e do software de edição de som, uma pasta com os efeitos sonoros que costumo usar e um software para gravar o áudio das chamadas do Skype.

Finalizando, um que é mais prevenção do que qualquer coisa, já que eu já conheci pessoas que sequer tinham o Office instalado no micro – e, vejam vocês, salvavam trabalhos escolares em formato RTF somente texto. o instalador do BR Office (antigo OpenOffice). Esta versão genérica do pacote da Microsoft é utilíssima para abrir e editar arquivos mais básicos do pacote Office, mas seriamente problemático com as funções mais avançadas dos mesmos, como macros, comentários, etc. Em 98% do tempo, porém, não tenho problemas.

Be Sociable, Share!

One Comment

  1. Todos os documentos, mesmo os complicados q eu fiz no BrOffice, abriram no Office e vice-versa. Se a Micro$oft dissesse como os seus formatos de arquivo funcionam, ficaria + fácil p/ q não houvesse incompatibilidade, mas enfim…

    http://www.portableapps.com

    Mad Max responde: fudeba, vou te dizer que desde que escolhi o OpenOffice não senti falta da versão MS em nenhum momento. Ele cumpre bem todas as funções básicas – e até algumas avançadas.

Leave a Reply

Required fields are marked *.