Sala de Justiça

Um blog d'O Pensador Selvagem | in moto perpetuo, produzindo inconscientes

THE NEWSROOM S1E01 – We Just Decided To

| 0 comments

Estoy a oír: Jurassicast #29 – Velocidade da Luz é Lenta?

Valorizado por um Oscar na estante, o cultuado roteirista Aaron Sorkin (criador de The West Wing, minha série dramática favorita) foi contratado pela HBO para uma nova empreitada. Seguindo a tradição de histórias de bastidores que o consagraram, o cenário da vez é a sala de redação de um telejornal noturno.

The Newsroom começa durante um debate promovido por uma universidade, do qual o prestigiado âncora Will McAvoy (Jeff Daniels) participa juntamente com arquétipos dos idiotas do lado democrata e republicano. Popular sobretudo por “não incomodar ninguém”, McAvoy faz um inflamado discurso sobre como os EUA já não são a grande potência de outrora. Impossível não lembrar de Studio 60 on the Sunset Strip, do mesmo Sorkin, e da crítica à mídia burra e emburrecedora em seus minutos iniciais.

Esta crítica, aliás, dita o tom dos 72 minutos do piloto. Toda a equipe de Will parte num novo projeto com seu antigo co-âncora, e uma nova produtora (Emily Mortimer) é contratada pela emissora. Sua missão: desenvolver um programa que permita a Will explorar sua recém-apresentada faceta de crítico político – e, num momento de genialidade sutil do roteiro, surge a oportunidade perfeita para este novo estilo de noticiário.

Além disso, Sorkin soube aproveitar a maior liberdade propiciada pela TV a cabo. Suas tradicionais críticas à sociedade americana estão mais mordazes do que nunca, mirando liberais e conservadores de um modo que só nos faz pensar nos erros que os dois lados têm cometido. (Nada como ver um escritor que não usa o cabo apenas como pretexto para encher seus roteiros de palavrões e cenas de sexo.) Tudo bem, o texto por vezes exagera no tom ao falar dos jornalistas como baluartes da verdade, mas até isso parece cuidadosamente planejado.

Minha grande decepção foi descobrir que a bela Olivia Munn não aparece no piloto, aumentando a expectativa para saber como a espivetada donzela irá se sair num papel mais sério. Mais uma razão para acompanhar a melhor estreia do ano.

PS: espero apenas que os próximos episódios não virem uma coleção de “ideias que não deu tempo de usar em Studio 60”. Mas é de Aaron Sorkin que estamos falando, então dá pra ficar tranquilo.

Be Sociable, Share!

Leave a Reply

Required fields are marked *.